abstinência

Cara, como somos dependentes das coisas e das pessoas atualmente! Precisamos de atenção. Nem que seja apenas uma curtida em nossos insanos devaneios. Eu me sinto sufocada por ter minha vida exposta, que eu mesma faço, e ainda reclamar quando pessoas que eu não gosto tanto, mas que faço questão de ter em meu círculo de amigos virtuais, curtem e compartilham o que posto. Que vida vazia… Há pelo menos dois anos atrás, tudo era diferente. Meus maiores problemas eram como eu andaria de metrô no frio ou quanto eu teria de dinheiro até o dia terminar. E ainda sim, eu tinha confiança de que Deus estaria no controle de todas as coisas, mesmo com medo. Muito medo. Nesta época, e sim, falo da Rússia, e sempre falarei, pouquíssimas pessoas se importavam comigo, as redes socias me traziam saudade e me faziam mal cada vez que as acessava. Era eu e Deus. Deus e eu. Quando algo me estressava profundamente e eu não podia fazer nada, simplesmente eu não fazia força, eu não fazia nada. No máximo, eu saía, ia para a floresta e me derramava. Simples. Fazia minhas tempestades, muitas delas cheias de trovoadas ensurdecedoras… Mas no máximo eu, Deus, o pastor e meu blog sabíamos. E hoje, divido a minha vida com mil pessoas aproximadamente, que nada podem fazer por mim. Nem orar, porque duvido muito que alguém que está 24h em um meio virtual desses, oraria pela minha vida com verdadeira devoção! Ninguém mais se preocupa verdadeiramente com o outro. Por isso, decidi excluir o facebook da minha vida (ainda que eu saiba que pode ser uma decisão temporária). Preciso SER GENTE. Ver GENTE. Saber de GENTE! E orar e chorar com meus irmãos que são gente. 

 

Me liguem mais.

Me mandem e-mail.

Me visitem.

Mas não me curtam nem cutuquem, por favor!

COMPARTILHE!

Anúncios

amigos

Já parou pra pensar na expressão: “Amigo mais chegado que um irmão” (pv. 18.24b)??? Pois é… Eu não tinha parado para pensar nisso até agora… Sempre achei que este irmão de quem provérbios fala, seria nosso irmão de sangue e que o amigo é mais amigo do que alguém do seu próprio sangue, mas que incrível pensamento veio à minha mente… Não é bem isso!

Dentro da igreja (Corpo de Cristo), somos (ou deveríamos ser) uma família… E esta família é composta de muitos irmãos, que não necessariamente são amigos. Pois o que eu imagino que provérbios quer nos mostrar é que devemos buscar esta comunhão que existe entre amigos, no meio dos irmãos. 

Pode parecer uma “revelação” bem simples e até mesmo não falar de vitórias, milagres e bençãos, mas o próprio Deus, em João 15:15 fala: 

Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai.

Isto há de ter um peso em nossa vida, porque Ele poderia dizer simplesmente que nos chama de filhos (trazer o grau de parentesco para o mais próximo possível), mas Deus prefere dizer: AMIGOS. Um amigo é alguém em quem você escolhe colocar a sua confiança. É alguém que você escolhe amar. E Deus faz isso conosco. E nós, como Sua imagem e semelhança, devemos buscar fazer o mesmo. 

Este é um assunto que me incomoda bastante porque eu tenho um milhão (exagerada) de amigos fora da igreja, pessoas que conhecem o meu jeito, pessoas que sabem as musicas que ouço, o que como, quais são os meus hobbies… E existem pessoas na minha igreja local que não sabem sequer que estive com algum problema durante a semana… Pessoas que só me veem aos domingos, mas que automaticamente eu viro para elas e digo: Deus te abençoe e tenha uma semana de vitória!! Não, eles não são meus amigos, e isso é mau! 

Que possamos mudar esta triste realidade.

Eu em mim… Você em você!

 

amiguemo-nos

desistir de tudo

Existe um assunto muito mal resolvido na minha mente. Para quem me conhece bem, já sabe que é fato de eu ter votado para o Brasil. Diante de Deus eu me sinto uma covarde, um trapo, uma imbecil, uma inútil. Sei muito bem que posso fazer a obra onde quer que eu esteja, mas há algo que ficou pra trás sem termino. Sem um ponto final. E é como se eu não conseguisse seguir a minha vida naturalmente sem terminar ou pelo menos, morrer tentando, aquilo que só pode ter sido Deus que colocou na minha vida. Como já cansei de pensar sobre isso, acho que simplesmente desisti. É hoje me dei conta de que eu sem precisar falar, desisti de tentar ser cristã…. Desisti de tentar. Fiquei traumatizada. As coisas não encaixam mais. Entendi o que é o evangelho, mas parece que tenho que fazer um esforço sobre-humano para tentar passar adiante (eu sei que em teoria quem faz isso eh o Espírito). Eu sei teoria demais. Eu sei muito mesmo de teoria. Talvez, começo a entender, que estou aqui no Brasil para entender a prática. Porque sinceramente eu não entendi a prática. Vivo em um universo paralelo e a minha alma sente necessidade de viver os intensos momentos de busca que eu tive. Claro que sinto falta das pessoas. São maravilhosas e únicas. Mas sinto falta de quem eu conheci de mim. Uma Carol especialmente criada por Deus com um propósito e uma missão. Dons surgiram. Talentos. Atividades. Milagres. E sumiram outra vez… Não gosto mais de ver pregações, não gosto mais de fazer nada na igreja, não gosto. Simples. Criei um muro. Fiquei em depressão por três meses e ninguém ligou. Absolutamente. Eu chorava dia e noite e as minhas lágrimas já escorriam naturalmente. Ninguém ligou. Até dói falar disso, mas preciso muito falar disso com alguém, nem que seja aqui. Minha família não consegue entender que não estava atrasando a minha vida, mas estava salvando-a. Minha vida. Minha. Hoje assisti a um vídeo que falava que frequentar as igrejas locais ajudava a pecar menos. Não sei. Fiquei com dúvida. Mas para não contrariar, eu entendi bem o recado que o Espírito queria me dar… Porque Ele sabe que eu não tenho a menor vontade de frequentar igreja nenhuma. O pregador leu hebreus 10 de 25 a 27…. E que terrível meu coração se sentiu. Fato de que eu já queria desligar o vídeo… Porque nós, em pecado, somos assim mesmo, nós desligamos quando Deus fala quando somos confrontados. Meu coração até tentou gelar. Mas não consegui… Ta doendo. To com saudades da floresta, das vigílias, do que eu aprendi. Eu já entendi que não posso me apegar a isso para viver a vida cristã, mas tem algo não terminado. Estou com medo. Estou triste. Estou pecando. Não cai com ninguém, não estou praticando nada carnal, mas estou em pecado. Meu corpo se tornou mais importante que tudo. Porque pensar em Deus esta me fazendo sofrer. Por que isso? Estou aberta ao tratamento, sei que vai doer mais do que antes, mas sei também que vai gerar alguém fruto. Preciso descer. Descer e descer. Ninguém pode fazer nada por mim…. Ninguém…. 😦

fútil

Estou sistematicamente fútil. Até os fios dos últimos cabelos dos dedos dos pés. E isso internamente não me agrada, mas eu não encontro alternativas. Eu sei que elas existem e estão ao meu alcance, mas a vida é tão mais fácil de ser vivida sendo extremamente fútil. Eu não preciso ter trabalho de me aprofundar em nada, posso fingir que não estou prestando atenção a nada e também não preciso fazer nada que não esteja com vontade de fazer. Legal né? Estou na contramão do que há um ano atrás perseguia vorazmente. Que maravilha! Sinto-me envergonhada pelo banho de cultura inútil que invadiu a minha mente, a minha alma e o meu corpo. Preciso de ajuda Divina, porque não há um ser mortal incontaminado. A culpa disso é… é minha mesmo. Queria começar a escrever e culpar a igreja moderna, aos falsos obreiros, aos pastores malucos e a ela… Russia, mas não há desculpas. Jesus disse que estaria comigo todos os dias até a consumação, bastava eu ter paciência e zêlo e aguardar… Mas eu não fiz isso. E tenho que fazer o retorno. Assumo. Estou fútil e isso é uma delícia. Mas o pecado também é. Então… acho melhor parar por aqui…. né?

moral

As pessoas gostam de dar lições de moral umas nas outras. Desde sempre. O senso de moralidade é algo extremamente subjetivo neste mundo. Por isso devemos seguir os padrões bíblicos. Porém estes tem um e um problema apenas. A doutrina dos homens. Esta é regida por um grupo ou comunidade, chamado “igreja” (visível, diga-se por sinal), que entende o sentido de moralidade bíblico de acordo com sua interpretação e o projeta para a convivência dos demais. Uns acreditam que mulher não deva sequer falar na igreja, usar saiote, cabelão… Outros já anulam essa parte e acreditam que tudo é pela graça e são mais laissez-faire... A grande questão é que até ai tudo bem se a consciencia não condenar e esses indivíduos se sentirem a vontade e praticantes do verdadeiro evangelho… em Termos. Quem segue tão rigorosamente uma certa doutrina, ainda que ela seja “mascarada” de estilo de vida cristão… mas não é, acaba se tornando religioso e pre-julgador das atitudes alheias. Passei por isso, três vezes. Uma, em uma igreja tradicional... eu não sabia nada de bíblia e vivia o tradicionalismo, dividindo a vida em mundano e cristão de uma forma extremamente sutil. Duas, em uma igreja alternativa… meus hábitos mudaram, fiquei mais “centrada no reino” porém descolada na forma de falar, de agir com as pessoas…. mas infelizmente me cerquei de um milhão de “não podes” que me afastaram de pessoas “normais” e perdi grandes oportunidades de trazê-las ao conhecimento da Verdade. Três, quando eu me aventurei a ir para a Russia (é, ela de novo), e lá vivi em uma comunidade cristã isolada (a princípio)…. Formulamos hábitos em comum, de acordo com a palavra de Deus, é verdade, mas viviamos em uma comunidade em que os comportamentos eram comuns. A união das três me aprisionou. Muito. Não pode usar isso, não pode falar isso, não pode, não pode, não pooooooooooode… Implicitamente. É claro que na terceira delas, aprendi que devo dar lugar a graça e que minha alma é guiada pelo Espírito Santo. Ficou confuso porque todas me ensinaram isso, mas na terceira eu realmente aprendi a viver isso. Só que o perigo é que sem querer, mas sem querer mesmo, me tornei prisioneira dos meus não podes…. E vivi algumas situações de aparência quando na verdade, dentro de mim o meu coração não parou de desejar o oposto…. Explico: Roupa: Gosto de usar camiseta. Mas ai descubro que meu braço é sexy e meu irmão está me desejando por isso. Daí paro de usar camiseta por amor a ele. Mas dentro de mim ficou algo gritando querendo a camiseta. Até ai é a guerra normal da carne X espírito. MAS o problema é quando você é prisioneiro deste querer tendo crises de fé, de vida cristã, por causa da bendita camiseta. Você não é livre. Aquele tabu criado, porque o irmão não é curado de ser tarado e você tem o braço sexy, não te deixam livre para olhar isso com naturalidade. Não estou falando de libertinagem… mas NATURALIDADE – LEVEZA – LIBERDADE. E aí o risco, você prejulga todo mundo que usa a bendita camiseta, porque ela agora é o SEU maior problema. Por quê você não implica com a forma como você pensa? POrque o pensamento está escondido. Mas é ai que quero chegar (ufa!)… O seu pensamento é livre em Deus, para usar o que quiser e fazer o que quiser (com as restrições biblicas e não doutrinárias), de forma que Ele, que é o que pode sondar sua mente e coração, não te condena com tais ações?

Falei isso porque tenho sido chamada atenção dos três grupos, cada um a sua maneira, sobre vários aspectos da minha vida. Mas será que três visões diferentes da mesma Palavra, são a VERDADE, ou eu deveria, por consciência no Espírito, saber a VERDADEIRA VERDADE??

Confuso? Imagina pra mim… Pensei nisso andando de bicicleta… com o espírito LIVRE.

Lembre-se que quando você está só, só estão você e Ele. Encare-se e veja se Ele fala alguma coisa.

#oremos

so sad, baby

Tem alguns momentos do mês, acho que é TPM, sei lá… que eu fico profundamente triste a ponto de desejar não existir mais: Rússia. Ela. Sempre ela. Bate na minha mente desesperadamente e nao saí… Fabyola, Lucia, Renato, Kristian, Olia, Diego, Victor, Paloma, Rebequinha ainda bebê, Josephine, Stephany, Genia… Pastor Felipe…. pessoas que eu conheci por apenas dois anos e ficam girando, girando, girando na minha mente. Não consigo esquecer. E peço a Deus para que o meu amor não se esfrie. Por eles. Por Ele. De tudo o que eu aprendi a viver naquele lugar… mas que serve para minha caminhada diária. Os amo. Profundamente… E isso se reflete todo mês… Nesses dias…………………………….. ;(