vinho e pão

Atravessando. Se é possível falar que uma boa mensagem de um filme pode trazer uma lição de Deus para a nossa vida, então direi isto neste post. Hoje perdi (ganhando) cento e quarenta e cinco minutos da minha vida assistindo a um filme com a minha atriz favorita Julia Roberts, ok ok se você começar a julgar porque o filme não é cristão, peço que pare de ler por aqui. Mas se há alguma possibilidade de abrir a mente, seja bem-vindo: o filme me mostrou o valor da redescoberta. Em si e com Deus. Sabe, muitas vezes as pessoas que estão ao seu redor, por mais sensatas e responsáveis que sejam, jamais conseguirão ajudar a responder questões que você precisa buscar sozinho. O Espírito de Deus opera tudo em todos (1Co 12.4), e isso significa que, se eu aceitei viver esta transformação da minha mente, alma e coração e prosseguir para valer nesta caminhada eterna, eu preciso acreditar que há uma obra sendo feita no meu coração tão profunda, mas tão profunda, que de vez em quando tenho uns lapsos de profundidade e me impressiono com tamanho amor de Deus em me querer ao Seu lado.

Somos seres sociáveis, mas o meu ser ferido não quer ser. Isso me dói porque tenho duas pessoas gritando por coisas distintas, mas no fundo sei a que está mais certa. A proposta não é expor a minha vida neste espaço, mas os momentos de dor, ainda que não publicamente conhecidos foram tão intensos, que usei todas as pedras para construir uma fortaleza e não uma ponte. Prefiro ignorar, isolar, afastar ao invés de unir, construir, edificar. Com isso, uma gama de relações ficam extremamente prejudicadas. Ainda mais quando eu descobri que nesta fortaleza não existem portas, para entrar precisa escalar o muro e para sair, na catapulta.

Ser assim ou assado (talvez no seu caso seja uma jaula e não um muro) é nocivo para a construção do que julgamos e queremos que seja o cristianismo em nós, mas precisamos começar a usar nossas ferramentas para destruir o que nós mesmos construimos. Neste filme, voltando ao assunto, a atriz principal tem uma reviravolta em sua vida e vai para a Itália redescobrir sabores, encontra verdadeiros amigos, aprende um idioma… Vive um momento de prazer. Logo depois ela vai para um retiro espiritual na India e lá encontra o que ela acha ser Deus. E depois vai para Bali onde ela une o prazer com a busca a Deus e entende quem realmente é. Além de encontrar um amor… Enfim, trazendo para a minha realidade… Reclamo tanto da minha vida!! Como sou injusta e mal agradecida. Me identifiquei porque no filme ela faz de tudo para encontrar um ponto de equilíbrio, mas eu nem me esforço, enquanto Deus está sempre tentando e tentando me mostrar o caminho certo. Muitas vezes Deus faz assim, Ele não desiste só porque você pensa que Ele desistiu. Ainda há tempo de redescobrir o prazer de buscar a sua presença e na comunhão junto com aqueles que, teoricamente, também deveriam buscar.

Deus permite que verdadeiras bençãos aconteçam em nossas vidas no decorrer dos períodos difíceis para que em algum momento, consigamos reconhecer Sua presença em todo o tempo. Este é um momento. Eu agradeço demais por entender uma pequena porcentagem do que tem acontecido bem aqui… aqui dentro.

Ainda que externamente pareça que está tudo uma zona, bem aqui consigo ver que cada dia mais áreas e áreas desta casa tem sido iluminada pelo poder curador de Cristo para a redescoberta da minha natureza mais preciosa: Sua Filha!

– atravessemos.

Se houve sofrimento é porque você tentou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s