diFIcuLIdades

É díficil. Ninguém jamais disse que seria fácil. Essa coisa toda de amar o próximo, aceitar erros, corrigir defeitos, ajeitar pensamentos, ufa. Isso é difícil. Ainda mais quando você tem que ter paciência com aquele que não tem ainda aquela crise superada que você lutou tanto para conseguir em você. Estava observando o quanto eu sou egoísta e quanto eu faço as coisas para o meu benefício. Ainda chego num certo grau mais avançado (rs) porque não me preocupo tanto com o benefício financeiro, mas o moral. E notando isso em mim estava tentando exterminar logo esta falta. Mas como defeito é igual carro novo: você nunca viu um até comprar o seu e todos aparecerem com carros novos, sigo nesta vida observando que não sou a única egoísta na situação. Todo mundo faz as coisas para o seu próprio proveito, por isso que o cristianismo é uma “religião” de poucos.

As pessoas não se importam verdadeiramente se te deixam na mão. O que as deixa realmente preocupadas é o fato delas não saírem prejudicadas. Infelizmente o radicalismo não sai de mim, masssss é verdade. Pode reparar, você não fala com uma pessoa se não há interesse, ainda que puro, nela. Tudo é movido por motivações e interesses. O problema é que isso não é saudável, não pode ser, ou então jamais chegaremos a um nível de santificação cogitado. Não me canso de lembrar do livro que li: “Falsos, metidos e mentirosos”. E nesta bagaceira de vida não sobra um, um sequer que não seja digno deste título. Ainda bem que desisti há tempos de acreditar na humanidade.

Temos a cara de pau de dizer que amamos o nosso irmão, mas na primeira oportunidade largamos ele de lado. E não estou apontando o seu defeito não, carissímo e raríssimo leitor, mas o meu próprio. Muito provavelmente se eu te conheço já fiz isso com você. Já te deixei na mão porque tinha algo mais interessante para fazer, ou deixei alguém na mão porque você era o meu algo interessante. Fato. Limpo. Joguei limpo. Pronto. Não sou boazinha. Nem você é.

Tinha uma professora no primário que todas as segundas-feiras me obrigava a cantar (não só eu, mas todas as turmas da manhã): Há um mundo bem melhor, todo feito pra você, é um mundo de amor…. ♪ Então, eu tinha só 10 anos e tinha tanta raiva desta música. Lembrei da sensação agora. E ela ainda obrigava a sorrirmos como se fosse muito bom estudar ali e viver ali. Aaaaaaaaaah,  ela meio que vinha para o meu lado e me obrigava, porque eu fazia questão de ficar muda e ainda com a carinha amarrada de chupar limão que todos conhecem bem. Já era uma criança temperamental e difícil… Mas fato é que este mundo bem melhor com seres humanos que usam máscaras de sorrisos em plena segunda-feira de manhã: NÃO EXISTE. E a propósito, para sua tristeza: COELHINHO DA PASCOA TAMBÉM NÃO.

– Ficou ruim mas desabafei. Enfim, o fim. #bleh

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s