eu, apaixonada

O seu noivo te dá flores? O meu as criou!

Hoje eu acordei e me dei conta do quanto às vezes nos lamentamos pelo que não temos, e nos esquecemos de ser gratos pelo que já temos. Não sei por vocês, mas eu caio nessa muitas e muitas vezes. Em várias situações, me pego elegendo como o ‘mundo ideal’ aquele que eu não tenho. E tudo isso gera um ciclo de insatisfação enorme e vicioso. Quanta bobagem!
Ontem mesmo eu passei por uma dessas. Estava na rodoviária de Campinas, e passei por uma banca que vendia flores. Sabe aqueles pensamentos teimosos, que aparecem sem que a gente controle? Pois é. Na hora, quando olhei um arranjo de flores muito bonito, pensei: ‘queria que alguém me desse um desses um dia’. Simples assim. Só um breve pensamentozinho com o pretérito imperfeito, e pronto. Aí vem a insatisfação com ele. ‘Queria’, ‘iria’, ‘pensaria’. Sabe o que todos esses verbos tem em comum? Exigem uma conjunção condicional depois deles. E sabe qual o problema dos ‘e se’ da vida? Eles sugerem que outras circunstâncias (por hora, inexistentes) seriam melhores que as atuais. E ao invés de lidarmos com o que temos, vivemos em um terrível ranço de reclamação pelo que não temos. Triste, né?

Dentro do ônibus, já de volta a minha cidade, olhei pela janela e me surpreendi com uma paisagem muito vistosa. O sol estava se pondo, e o céu estava cheio de pinceladas alaranjadas. Havia belas colinas, cobertas de muitos, muitos tons de verde (minha cor preferida!). Como em um sopro, não pude deixar de sorrir ao ouvi-Lo dizer: ‘Ei, Eu fiz isso pra você!’ Uau!
Quão limitados são os nossos pensamentos, não? É isso que escolhemos? Passar a vida inteira desejando ser Cinderela, quando fomos convidadas para o único palácio verdadeiro? Pense bem: queremos ser um mero fragmento da imaginação de outra pessoa, quando na verdade temos diante de nós o maior amante e o Noivo mais perfeito que já existiu. Que tristeza!
Eu luto para viver e curtir Seu amor ao máximo. Nem sempre eu consigo. Na verdade, eu mais não consigo do que consigo. Ainda assim, tenho sido agraciada, em toda a minha chatice e imperfeição, com momentos que não trocaria por nada, nada mesmo. O episódio de ontem foi apenas um deles. O meu Amado é aquEle que criou o Universo, e mesmo assim, preferiu morrer por mim, a viver sem mim! Me manda flores todos os dias, me levanta a cada queda. Quando eu não consigo mais continuar, Ele faz novas todas as coisas. Ele é o meu herói, e essencialmente, o meu Deus. Isso deveria, no mínimo, fazer nosso coração sorrir o tempo todo, não? Deveria ser suficiente para satisfazer-nos saber que ninguém menos que o Rei do Universo nos ama a ponto de além de morrer por nós, escolher viver conosco todos os dias. Eu quero chegar nesse ponto, e você?  
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s